segunda-feira, 29 de março de 2010

fugiste e não sei se voltas


A noite passada foi estranhamente confusa. Deparei-me a pensar, e a pensar e sem me aperceber, continuava a pensar... em ti. Nunca percebi ao certo o porquê de te teres afastado e sinceramente aquela noite foi tirada para arranjar uma justificação. Eu bem que tentei, e juro que tentei, mas ao correr naquela longa estrada, apercebi-me que não teria fim, para minha infelicidade. Mergulhei numa banheira cheia de recordações, e nunca nenhuma delas fora esquecida. Tenho a mais sólida noção que cada uma de nós transbordava amizade por tudo o que era sitio, e com um simples estalar, tudo isto fugiu, fingindo nunca ter existido. Parei para me interrogar a mim própria o porquê de tudo isto e agora pergunto-te a ti.

Hoje poderia ser diferente se nada disto tivesse acontecido.

8 comentários:

  1. as amizades, ás vezes são assim.
    catarina soares

    ResponderEliminar
  2. Obrigada minha querida, vais ver que isso tudo vai voltar depressa :D
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. poderia ser sempre diferente *
    optimo texto*

    ResponderEliminar
  4. sim espero bem conseguir :)
    oh também já me aconteceu isso :x

    ResponderEliminar
  5. Há amizades que acabam assim, do nada, sem estarmos à espera. Mas acabamos por descobrir as razões de tal ter acontecido, nada acontece por acaso. Beijinho, estou a seguir o teu blog :)

    ResponderEliminar
  6. Se achas que não acabou, não deixes acabar!

    ResponderEliminar